PRIMEIRO PASSO?

 

 

            Tudo na vida tem sempre o primeiro passo. É assim quando, logo após o nascimento, começamos a engatinhar. Vemos nossos pais em pé e queremos imitá-los e tentamos ficar em pé também. Acontecem os tropeços seguidos de tombos, até que os braços do pai ou da mãe começam a nos guiar com segurança.

 

            Tenho visto nas manifestações populares da história recente do país, muitos jovens pedindo intervenção militar no país. Eles não sabem o que fazem, pois não viveram na época da ditadura militar. Concordo com alguns dos mais velhos que dizem que o Brasil avançou muito economicamente e tornou-se a sétima economia do mundo. Sétima, oitava ou trigésima, não me diz nada, importante é ter um lugar em que se possa ter uma vida digna.

 

Em uma ditadura todas as decisões são tomadas por um único homem ou um pequeno grupo de homens comprometidos com o ditador, seja por medo ou interesse particular. Foi assim na era Vargas e foi assim no movimento de 1964.

 

Considerando os dois períodos, e hoje com 69 anos, posso dizer que mais da metade de minha vida vivi sob um governo ditatorial e digo aos jovens de hoje: não é bom!

 

Os mais velhos dizem que naquela época podíamos andar com mais segurança nas ruas e é verdade. Naquele tempo éramos pouco mais de 70 milhões de habitantes, hoje a população triplicou e ocupa o mesmo espaço de antes. Naquela época tínhamos medo da polícia ao invés do bandido. A polícia andava em carros chapas frias e bastava ver dois ou três amigos na rua para pará-los em uma blitz. Reuniões a céu aberto eram proibidas e até mesmo na casa de amigos corria-se o risco de invasão policial, bastando para isso um telefonema de um vizinho mal humorado.

 

Exagero? Mas eu vi acontecer! Tive amigos e professores presos

 

Fala-se na honestidade dos cinco presidentes que governaram o país, que morreram pobres e quase nada deixaram para suas viúvas. É verdade, mas honestidade não é uma virtude, é dever, É obrigação! Levemos em conta que quem faz escola militar aprende duas coisas que todos deveriam aprender: disciplina e patriotismo, coisas de que os governantes na Nova República nunca ouviram falar e por isso, desde aquela época ganharam muito dinheiro, por serem amigos do poder.

 

A democracia só mudou o regime de governo, mas não mudou o caráter dos homens. A ganância passou a imperar no país e a violência tomou conta das cidades. Pouco emprego? Pouca moradia? Excesso populacional? Ou terá sido falta de planejamento e de vergonha na cara?

 

Alguém realmente acha que o chefe do tráfico de drogas mora na favela?  Afinal quem é o chefão? Marcola ou Fernandinho Beira-Mar? Estes estão presos por medida de segurança, pois aqui do lado de fora correm perigo.

 

O Rio de Janeiro é uma cidade maravilhosa por natureza e oprimida pela própria natureza. De um lado o mar e do outro os morros, e o morro desceu. Viver no Rio tornou-se uma aventura com as pessoas tendo medo de sair de suas casas. Os governos municipal e estadual deterioram com a cidade e o estado e, agora, atendendo a pedidos, o governo decretou intervenção federal no Estado.

 

Os extremistas direitistas sorriem, os de esquerda ficam com o pé atrás. A burguesia também sorri, mas o favelado com certeza está chorando.

 

Terá sido esse o primeiro passo para uma ditadura de direita?

 

Ivan Jubert Guimarães

 

16/02/2018

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, LIBERDADE, Homem, de 56 a 65 anos, English, French, Livros, Cinema e vídeo
MSN -